terça-feira, 29 de junho de 2010

Sonho meu




Hoje sonhei contigo, sim contigo.
Mas acordei com a maldita realidade que se impunha
Sobre as florestas densas, obscuras e perversas dos meus sonhos.
Desejei poder dormir para sempre
Para simplesmente poder estar contigo.
Que todos os meus sentidos estivessem adormecidos,
Que a neblina presente se desvanecesse
Para eu te poder ver melhor.
Abdicaria de tudo por mais um sonho ou um beijo acordado
Fugiria para lado nenhum e para o nada
Esconderia-me dos pecados no escuro da areia azul
Ter-te-ia uma vez mais
Ficaríamos embalados pela brisa marítima gelada da noite de Verão.
E quando a hora se impusesse
Levaríamos o perfume um do outro para casa
Um beijo na testa
E um adeus.

4 comentários:

  1. O Verão está fazer bem à tua veia poética!
    Abracinho

    ResponderExcluir
  2. Incógnita, quase quase perfeito..:)

    ResponderExcluir
  3. Maria, o calor não perdoa...

    Beijo!

    ResponderExcluir

Ora digam: